14 de agosto de 2015, realizei o maior sonho da minha vida – ser mãe.Sonho que, por um momento achei que fosse difícil de realizar, pois meu ciclo menstrual costumava ser irregular. Mas a minha fé em Deus não me deixava perder a esperança, em minhas orações, colocava a mão sobre o meu ventre e orava para que eu pudesse gerar. Não precisei esperar muito tempo… E logo nas primeiras tentativas engravidei. Que alegria!! Estava a esperando um menino, Samuel – aquele a quem Deus ouve. Sim! Ele ouviu o meu clamor e desde o ventre já o consagrava ao Senhor. Tive uma gestação muito saudável… Pratiquei exercícios físicos como yoga, pilates e musculação praticamente a gestação inteira, uma alimentação balanceada, o que contribuiu muito para o trabalho de parto. Também conversava todos os dias com o Samuel, as vezes eu e meu marido tocávamos flauta e violão pra ele e, além disso eu orava para que eu tivesse um parto tranquilo e, que eu gostaria muito de experimentar algo além do fisiológico, queria ter uma experiência sobrenatural. E assim Deus fez… Nosso corpo está preparado, nós é que nos acovardamos muitas vezes em meio a dor… “A dor que precede o amor” – meu marido me encorajou ao me dizer esta frase num momento de muita dor. Minhas contrações evoluíram muito rapidamente. Na noite do dia 13 de agosto ainda atendi um paciente Home Care no meu condomínio, quando cheguei em casa tomei um banho relaxante, fiz um escalda pez e tomei um chá de maçã com canela e gengibre recomendado pela minha doula Carolina. Neste momento, conversei bastante com o Samuel em voz alta… Dizendo que tudo já estava preparado para ele chegar… Que no momento em que ele quisesse vir, iríamos recebê-lo com muito amor. Em seguida comecei a orar, colocando todos os meus anseios ao Senhor, mas dizia que estava em paz porque sabia que tudo já estava preparado por Ele.  Elas começaram umas 19h, mas não estavam ritmadas. A partir de umas 22h começaram a ficar de 15 em 15 minutos, mas ainda alguns intervalos irregulares. Meia noite eu tentei dormir, mas acordava praticamente a cada 10 minutos com muita dor. Já tinha ligado para a casa de parto… Para a minha doula e, a recomendação era a mesma, tomar um banho quente para ver se as contrações ficavam ritmadas e num intervalo menor. Cheguei a entrar 2 vezes em baixo do chuveiro e, na segunda vez… O processo acelerou… Foi o momento em que mais me senti mais sem forças… Do jeito que sai do banho fiquei… Não consegui nem sequer secar meus cabelos… Me deitei no chão do quarto, pois não tinha forças pra subir na cama. Estava muito assustada, pois sangrava um pouco, já era o colo do útero afinando. Mas a minha preocupação era se estava tudo bem com o bebe. A forte cólica que sentia nas contrações irradiava a dor para as minhas coxas e, as vezes para as costas, teve momento de eu estender as pernas para cima pra ver se aliviava. Quando a dor passava… Me lembrava do motivo de tudo aquilo estar acontecendo… E então conseguia me restabelecer e me fortalecer em Deus. Isso foi por volta das 3:30h da manhã, quando rapidamente as minhas contrações saltaram dos 10 minutos para intervalos de 4 em 4 minutos. Foi então que a doula chegou em casa e fomos para a casa de parto. A caminho da casa de parto, começou a covardia… Quando a gente pensa em desistir, acha que não vai aguentar… Mas uma força indescritível nos impulsiona a seguir em frente. Quando entramos no carro, eu estava sentindo muito frio e, mesmo com a vontade de sair logo pedi para meu marido voltar e pegar um cobertor.  A aventura maior começou no meio do caminho, a Carol fez uma oração e, eu tinha a certeza que tudo já estava preparado pelo Senhor. De modo sobrenatural tudo aconteceu… Depois de muitos episódios de contração, covardia e coragem, a minha bolsa rompeu dentro do carro, uma sensação maravilhosa… Tive um alívio momentâneo… Só para me fortalecer para o que viria depois. A Carol conversava comigo em todo o tempo, pude expressar meus medos a ela e com sabedoria ela me encorajava. Conversei com o Samuel, como fazia durante toda a gestação… Ele sabia que passaríamos por tudo juntos… Mas que o teria em meus braços pra aquecê-lo e cessar a dor. Meu marido nos guiando e participando de uma única emoção… Com os anjos acampados ao seu redor.  Minutos depois da bolsa rompida foram mais três contrações… Na primeira senti dilatar muito… Uma dor que te encoraja a expulsar e não reter… Acompanhada de uma força sobrenatural. Na segunda a cabecinha coroou, ai a força é avassaladora… neste momento a Carol falou para o Vi parar o carro… Faltavam 10 minutos pra chegar na casa de parto. Estávamos no acostamento da marginal pinheiros, o Vi desceu do carro e acompanhou tudo, ai escorreram as primeiras lágrimas dos olhos de um pai… Com muita emoção ele descreve que viu a cabecinha do Samuel, na contração seguinte a cabecinha virar e na ultima ele mesmo ir se encaixando para sair. O Samuel fez tudo certinho… A natureza é perfeita.  No momento da expulsão… Alívio sem fim. Ainda ligados no cordão… Ah!! Que sublime sensação!!! Aqueci ele em meu peito, e o cobertor que me esquentava no início agora era o conforto dele. Chegamos na casa de parto… E fomos direto para o quarto. Verificou-se os sinais vitais do Samuel… E outros procedimentos… É tudo estava bem, ele é um bebê saudável, tranquilo… Nasceu com 2,850kg. Tive o prazer de amamentá-lo também. A placenta saiu após 30 minutos. Deus seja louvado… Eu tive um parto mais que abençoado! Quero encorajar a força que Deus concedeu a toda mulher… Posso dizer que me tornei umamulher mais forte, mais guerreira, uma verdadeira “Mãe”.Thalita N. Zanetti Zemuner, esposa do Vinicius Zemuner e mãe do Samuel Zanetti Zemuner