Este ano de 2015 decidi que ficaria mais tempo com meus filhos então havia estipulado os dias em que atenderia na consultoria do sono.Como doula pedi a Deus que me colocasse somente em partos que minha presença fizesse realmente diferença na vida dessas famílias e bebês que estavam a caminho, e assim foi. Sim sou cristã, creio muito em Deus e a confirmação Dele de que eu era necessária nesse parto se fez na primeira ligação que a Thalita (mãe) fez,  por alguns minutos conversamos e ela quis saber mais do meu trabalho.Lembro-me de que em algum momento da ligação mencionei que Deus tudo sabia e que o Samuel viria na hora certa, Thalita então me perguntou se eu tinha religião e eu disse que sim, que era Cristã, ela respondeu nós também e queremos muito uma doula cristã.Era a confirmação!  Em minha primeira visita para nos conhecermos pessoalmente expliquei melhor do trabalho de uma doula e logo a Thalita confirmou, é com você que queremos fechar, nem vou ver mais ninguém e  tudo foi assim, bom, perfeito e agradável. Em nossa primeiro encontro já como doula e doulanda conheci a menina Thalita e o engraçado Vinícius(pai). Ambos foram muito queridos comigo.Conversamos sobre o local escolhido pela Thalita para parir, a Casa Ângela e logo com a escolha do local já me tranquilizei, Thalita era emponderada mesmo, não me sobravam mais dúvidas! Falamos muito sobre a variedade dos exercícios que ela fazia, minha gente ela treinava 4 vezes por semana, fazia  musculação, yoga, e pilates.Ela era muito ativa e continuou assim durante sua gestação.Lembro-me de no final , nas últimas semanas quando ela já estava mais cansada eu ter pedido  que ela descansasse só um pouquinho e ela concordou que andava cansada e assim abriu mão de dois dias de treino. Thalita que é nutricionista também era bastante regrada em relação a alimentação, acho que ela não passava vontade não, mas sempre demonstrou grande preocupação em comer o melhor e se alimentar bemEla era muito calma, magrinha(sim uma grávida super magrinha) carregava sempre um sorriso no rosto e transmitia amor com apenas um olhar.Vinícius era mais agitado, mas muito cuidadoso com a esposa, perguntava sobre algumas questões em relação ao parto, mas nada de preocupação era sempre leve e muito engraçado. Nossos encontros que se anteciparam ao parto foram constituídos por momentos de conversas, descontração e sempre uma massagem com relaxamento.Eu não precisava falar muito de exercícios com a Thalita porque ela realmente conhecia a maioria. Na quarta-feira do dia 12 de agosto fui a casa do casal para fazer o ultrassom artístico. Para quem não conhece é quando pintamos o bebê na barriga da mãe exatamente na posição em que ele se encontra no útero materno.Foi um momento especial, e nesse dia já notamos algumas contrações aqui e ali (sem dor claro), mas o corpo de Thalita já mandava sinais de que Samuel logo estaria em seus braços.   No dia seguinte dia 13 de agosto por volta das 22:00hs Thalita me mandou mensagem dizendo que estava tendo contrações com um leve incômodo(dor de cólica) e em seu áudio pude notar ela extremamente calma, e pensei ainda não era a hora.Pedi a ela que tomasse banho e fosse relaxar e esperar, se com o banho as contrações entrassem num ritmo era para me ligar, se parassem não era trabalho de parto.As 22:17 ela me mandou as anotações dos tempos entre uma contração e outra, não existia um padrão, não eram de 10 em 10 minutos nem de tanto em tantos.Algumas vinham em 10, outras depois de 7, outras depois de 20 e mais uma vez falei “fique tranquila, seu corpo está se preparando para o parto, vocês está cansada, tome um  banho e veja se passa que estou a postos” Ela me contou que foi então tomar mais um banho, fez o escalda pés que ensinei, tomou um chá super especial que ajuda muito no TP que eu havia levado em minha última visita e estava tentando ir deitar.Pedi a ela que fosse se distrai lendo o livro que eu havia deixado com ela “Parto Ativo” e depois ela me contou que estava me achando muito calma e doida né?Mas eu esperava que ela realmente se acalmasse para entrar em trabalho de parto ativo. Ás 3:35 ela me mandou uma mensagem dizendo “Carol acho que teremos que ir para a Casa ângela”  e aquele foi o sinal que eu precisava.Ela que antes conversava numa boa entre uma contração e outra pediu ao Vinícius que me ligasse e me chamasse e as 3:36 o Vinícius me ligou,Thalita já estava focada no TP e  me confirmou que estavam vindo certinho de 10 em 10 minutos e que vinham com muita dor. Agora sim, pensei! Eu já estava de pé!Pensei em tomar um banho gelado rápido para acordar mesmo, mas algo me disse para ir logo, e fui. Em 32 minutos estava lá. Ao chegar bati os olhos na Thalita e soube, teríamos que ir já.As contrações ainda estavam de 10 em 10 minutos e a Casa de Parto havia pedido a Thalita que fosse quando estivessem de 5 em 5 minutos, mas nem me acomodei e já fui logo falando: ” – Vamos gente, chegou a hora!Eba…ele vai nascer!”Não precisei nem convencer a Thalita, ela sentia muito mais que eu, que a hora havia chegado e lembro-me dela dizendo ” Ai Carol eu quero ir agora para a Casa Ângela.” E queria fazer um parêntesis, sim existem vários sinais para entendermos em que fase de trabalho de parto uma mulher está, mas não podemos jamais esquecer que cada parto é de um jeito.A Thalita não estava com contrações de 5 em 5 minutos, mas elas estavam longas, dolorosas eu via que ela estava na “partolândia” como falamos. Ela estava muito concentrada em seu corpo, recebia todas as contrações como se cada uma pudesse aproximá-la mais e mais do Samuel.  E assim, nem fechamos a porta com a minha chegada e já logo saímos e fomos.Ainda no caminho para o carro aquela noite quente havia esfriado de uma forma misteriosa (mas pensamos é São Paulo né?) e Thalita pediu ao Vinicius, ” Amor por favor pegue um cobertor” e eu acrescentei e um travesseiro também por favor.Eu sabia que ela iria deitada no banco de trás  já que ela estava com muita dor e se sentia melhor deitada de lado.Pensei em deixá-la mais confortável possível. Na saída com o carro me lembro de Thalita passar pela fase da “covardia” quem não sabe que fase é essa do TP vale a pena pesquisar e ler a respeito, mas é o momento em que a mulher acha que não vai aguentar ou suportar a dor e pensei meu Deus está muito próximo.Thalita dizia “Ah, esse negócio de parto natural, não sei não viu.Dói muito!”(fofa) e repetia“Carol, não sei se aguento mais, não sei ” e naquele momento Thalita pediu para orarmos. Gente  entendam que não oro com todos os casais, respeito a religião de cada família, mas como compartilhamos da mesma religião foi algo natural e na verdade quase que automático. Vinicius que já dirigia acompanhava a oração do volante. Eu me lembro de orar para que Deus me capacitasse, essa foi a palavra que usei naquela hora, e era como se eu já soubesse que de alguma maneira eu precisava estar ali.Pedi também para que Deus estivesse ao lado da Thalita, para que ela pudesse ser forte e que Ele amenizasse todas as dores dela.E ao Vinicius  que dirigia, para que ele nos guiasse de maneira segura, para que o Sam nascesse lindo e saudável .Thalita também fez uma oração linda pedindo a Deus força e coragem. Passados 15 minutos de viagem, Thalita me disse que se sentia fraca e estava muito caladaPedi então a ela  que falasse qualquer coisa que estivesse pensando, sentindo, qualquer medo que pudesse estar a preocupando e assim ela me disse que tinha medo de Samuel não nascer. Afirmei a ela que aquilo não aconteceria, não mesmo! Era um fato que eu podia garantir que não iria acontecer, Samuel era um bebê pequeno, de bom peso, ela tinha feito muitos exercícios, estava preparada, tinha uma garra absurda e o mais importante bebês nascem e ponto.Deus estava conosco, naquele momento já sentiamos a presença Dele e o cuidado Dele em cada detalhe. Thalita se acalmou e buscou o Vinícius “Amor tudo bem aí?” mais tarde ela me contou que queria ele ali com ela naquela hora.Esse foi o único momento que realmente desejei por ela não estarmos no carro, se eu pudesse eu trocaria de lugar com o Vinícius,mas eu dirigir naquela situação seria uma decisão muito arriscada, afinal eu precisava estar ali para ajudá-la, direcioná-la e ampará-la.Queria muito o Vinícius perto dela, mas eu sabia que se Samuel nascesse era eu naquele momento a responsável em recebê-lo bem. Passados 10 minutos Thalita que estava na “partolândia” total conversava docemente com Samuel, era como se o mundo tivesse parado para a conversa: “Filho você é muito corajoso e forte sabia ?Nós vamos passar por isso juntos”E essa frase me deu um estalo.Forte e Corajoso eram as duas características opostas do que a Thalita havia verbalizado há 10 minutos atrás.De quando ela estava se sentindo fraca e com medo. E eu disse:”Thalita quem está falando isso para você é o Samuel, ele que está esperando você, ele está pronto, ele está lhe dizendo para ser forte e corajosa” e de repente aquela menina com jeitinho meigo, delicada e quase frágil me olhou com um olhar de mãe leoa mesmo e sorrio, “verdade Carol, verdade”3 minutos..PLOC! A bolsa estourou. “Meu Deus Carol a bolsa estourou!”Eu já sabia que ela estava quase totalmente dilatada, no mínimo 7 pensava eu, não queria que o parto fosse ali no carro, mas também não queria estacionar o parto, ou fazê-la “segurar” a situação.Uma das funções da doula é realmente tranquilizar  a parturiente a ponto de deixá-la relaxada  e assim diminuir o tempo de trabalho de parto, sem contar que ela já havia me falado que um de seus medos  era justamente esse, de o Samuel não nascer.Eu jamais poderia impedir o nascimento do Samuel, como eu disse anteriormente, nem eu nem ninguém, bebês simplesmente nascem! Mais uma contração,notei pelo movimento abdominal da Thalita que o Samuel havia descido e encaixado, pedi ao Vinícius que parasse no acostamento, ao mesmo tempo comecei a ligar para a casa de parto a pedido da Thalita e avisá-los de que estava com uma paciente deles já no expulsivo.As próprias obstetrizes me pediram para parar o carro e perguntaram “Você consegue receber esse bebê?”“Sim consigo”respondi sem parar para pensar no que estava acontecendo. O Vinícius me disse:” Mas parar no acostamento?Aqui não tem acostamento e Carol faltam 5 minutos para chegarmos ” e foi aí que ele entendeu ” Vi, não dá tempo o Samuel já vai nascer!” Sam coroou.  Vinícius encontrou um acostamento, saiu do carro e naquela hora o cara editor de filmes e vídeos muito compentente por sinal,  estava tão apaixonado pela situação que não conseguiu nem tirar o celular do bolso.Lembro-me de jogar minha bolsa no chão no meio da marginal pinheiros, colocar minhas luvas e dizer ” O Samuel vai nascer e vai dar tudo certo gente”  Thalita estava linda, já era mãe, já havia se transformado.Falava diferente e sabia exatamente o que fazer, eu mal precisei direcioná-la, estava ali apenas para ampará-la..Ela era a grande protagonista de cada contração e de cada minuto que se aproximava da chegada do Samuel.Acomodei o cobertor e dei uma organizada no banco do carro.  Vinicius estava ao meu lado e logo vimos a cabecinha cabeludinha do Samuel, o pai nesse momento estava muito emocionado e disse ” Ele está nascendo amor” Ela então perguntou:” Ele é bonitinho?”“Sim, muito” respondemos.Pai ficou angustiado em esperar entre uma contração e outra para que Samuel nascesse realmente, expliquei que a natureza era perfeita.Disse a ele que logo Samuel viraria de lado e sairia sozinho.No momento em que ele estava encontrando o caminho Thalita me pediu que o puxasse.É muito comum a mãe querer que puxem o bebê, até porque assistimos em filmes e vídeos de partos os médicos puxando os bebês pela cabeça, mas eu disse: ” Thali calma amor, eu não preciso fazer nada , ele sai direitinho quando está tudo bem, você e ele sabem o caminho ” e assim foi. Para a completa emoção do Papai Vinícius que não se conteve em lágrimas, Samuel virou de lado e nasceu, sozinho com Thalita.Fui privilegiada e me sinto honrada por Deus por  ter sido a primeira a recebê-lo.Me senti como uma ponte que entrega o maior dos presentes.De uma mãe para outra mãe.“Bem vindo Samuel” O ambiente era tão calmo,escuro, aconchegante, de amor e respeitoso que Samuel nasceu dormindo, quietinho. A primeira reação instintiva da Thalita foi colocá-lo pele com pele e dizer ” Oi meu filho, oi Sam, amor ele é lindo (ela dizia ao Vinicius)”Naquele momento tudo se fez claro e límpido, o cobertor antes que aquecia a Thalita estava ali para confortar e aquecer o Samuel, como Deus pensou em tudo não ?Imagine só se naquela noite não tivesse esfriado?Como aqueceríamos o Samuel e conseguiríamos manter a temperatura dele? Que mãe forte e decidida Deus havia dado ao Samuel, e que Pai  responsável e cuidadoso Ele também havia separado.Estava ocitocinada e completa de amor em poder fazer parte daquele momento, quanta gratidão. Tanto o Papai quanto a Mamãe estavam perguntando sobre o choro do Samuel que não havia acontecido, ele só havia dado choramingadas leves:” Carol ele não está muito quieto?” perguntou  Thalita Eu já tinha esfregado as costinhas do Samuel para estimulá-lo e já tinha notado que ele respirava bem.Informei aos dois de que ele estava ótimo, apenas quietinho e que não precisavam se preocupar, mas resolvi confirmar.Mexemos um pouquinho nele e nada, ao tentar levantá-lo precisei tirá-lo do colo da mamãe e logo ele brigou comigo soltando um alto chorinho aliviando todos ali, ainda no carro. Chegamos a Casa Ângela e fomos já recebidos na porta, todas muito queridas como sempre, lá na casa de parto puderam constatar  que estava tudo muito bem com o Samuel e com a Thalita.Samuel mamou já na primeira hora de nascimento.  Mamãe estava ótima, nem parecia que havia acabado de ter um bebê dento do carro. Minutos depois nascia a plascenta.Fiquei ali por mais alguns momentos observando aquela família que havia acabado de nascer. Vinicius estava finalmente ao lado de Thalita e de Samuel e foi um momento mágico, de pura ocitocina no ar.O amor flutuava por aquela sala e Samuel abriu seus olhos antes tímidos e fechadinhos e olhou profundamente nos olhos da mamãe e do papai como se dissesse:-Que bom que Deus me deu vocês.